5 tecnologias para você aprender esse ano - Full Cycle FullCycle

Voltar

Wesley Willians

5 tecnologias para você aprender esse ano

15 min de leitura

Separamos para vocês 5 tecnologias que farão diferença na sua vida esse ano, principalmente se você quer se tornar uma pessoa desenvolvedora capaz de trabalhar com aplicações de grande porte. São elas: Go, Clean Architecture, Apache Kafka, Kubernetes e Ferramentas de Observabilidade. Confira abaixo.

  1.  Linguagem Go

Ao trabalhar com projetos grandes, é perceptível que eles precisam de muita performance e facilidade para trabalhar com diversos tipos de processos; e Go é uma linguagem de programação que nos ajuda muito com isso.

A Go está extremamente em alta e é uma das linguagens que mais crescem dentro das empresas – o próprio Mercado Livre, atualmente com cerca de 7 mil devs, relatou um aumento expressivo, como é mostrado no gráfico abaixo: 

Tecnologia: Go

Go é uma linguagem simples de aprender e que você consegue tirar muitos frutos. Você já deve ter percebido inclusive  que essa linguagem de programação é muito abordada no canal da Full Cycle.

  1. Clean Architecture

Essa não é necessariamente uma tecnologia, mas algo que as empresas têm adotado para construir aplicações minimizando custos e maximizando sua vida útil.

A Clean Architecture é uma forma de desenvolver software de qualidade isolando o domínio (regras de negócio) das outras camadas da aplicação. Ela determina várias camadas das outras camadas da aplicação, como casos de uso e entidades, permitindo organizar melhor as tarefas e reaproveitar as operações sem prejudicar a manutenção.

Normalmente quem trabalha com Clean Architecture acaba tendo, indiretamente, que entender um pouco mais sobre DDD. Então é importante aprender ambos. Apesar de ser um método conhecido, não está na lista, mas muitos desenvolvedores ainda precisam dominar.

  1.  Apache Kafka

É uma das tecnologias que grandes empresas estão utilizando e é sempre bom reforçar: aprendam pelo menos o básico do básico. Porém, isso não quer dizer que você deva aprender apenas a publicar ou ler uma mensagem.

O Apache Kafka é um sistema bem complexo e te auxilia a trabalhar com stream de dados, ajudando com que sistemas se comuniquem, etc. Apesar de necessário, as empresas estão carentes de profissionais devops que entendam dessa tecnologia.

No nosso canal do youtube tem uma playlist que vai te ajudar muito. Clique aqui para acessá-la.

  1. Kubernetes

O Kubernetes é um orquestrador de containers e, ao falar sobre isso, é indispensável ressaltar a importância de aprender Docker também.

Muitos dizem que só DevOps precisam saber, mas tenho em mente que, quanto mais os desenvolvedores entenderem do mundo do Kubernetes, mais vão conseguir ajudar profissionais que atuam da área de DevOps a publicarem e manterem suas aplicações. Não é porque profissionais de Infra e DevOps estão mais acostumados a trabalhar com esses sistemas, que desenvolvedores devem limitar-se a utilizá-los. Não precisa se tornar um especialista, mas é indispensável aprender a parte básica.

Atualmente, o Kubernetes é considerado o novo sistema operacional da nuvem. Então, por conta disso, grandes empresas que ainda não usam essa ferramenta provavelmente irão introduzi-las em algum momento. Assim, dá para notar a importância que essa ferramenta tem.

  1. Ferramentas de Observabilidade

Não será citada nenhuma ferramenta em específico, mas o que acontece é: atualmente os desenvolvedores devem ter entendimento sobre o acesso às informações básicas e necessárias para solucionar os problemas que acontecem com uma aplicação de produção, não apenas pela ferramenta em si. 

As Ferramentas de Observabilidade vão ajudar com a captura e gerenciamento de logs, visualização, métricas, tracing e ferramentas que nos possibilitam entender o que acontece quando captamos uma requisição em um serviço com mais clareza.

Alguns exemplos de ferramentas: Elastic Stack, New Relic, Datadog, Splunk, etc.

Assista ao vídeo completo com as tecnologias indicadas clicando aqui, ou voltando para o começo da matéria caso ainda tenha ficado alguma dúvida.

Confira também esse podcast sobre Golang.