O que é CI ou Integração Contínua? - Full Cycle FullCycle

Voltar

Wesley Willians

O que é CI ou Integração Contínua?

7 min de leitura

Muitas vezes encontramos códigos nos nossos repositórios que apresentam algumas inconsistências, seja na indentação ou na documentação, que podem ser diferentes do que estamos acostumados. Esse tipo de coisa normalmente resulta no mau funcionamento do nosso software quando ele é colocado em ação.

Pensando nisso, podemos contar com os processos de integração contínua (CI), que baixa e gera a estrutura das nossas aplicações, faz todos os testes necessários e ainda verifica se a indentação está em ordem com o padrão de documentação.

Dessa forma o código é integrado de forma segura à aplicação principal quando ele subir para o repositório. Mesmo assim, para garantir a segurança são necessários processos muito claros do que nós queremos validar ao aplicarmos essa função.

Como trabalhar com Integração Contínua?

O primeiro passo é entender que você não vai fazer isso manualmente ao baixar o código, mas existem diversos tipos de ferramentas que você pode utilizar para automatizar esse processo. Algumas ferramentas consolidadas que você pode encontrar no mercado, como: Jenkins; CircleCI; AWS Code Build; Google Cloud Build.

GitHub Actions

O GitHub Actions é uma ferramenta recém-lançada que nos permite ajustar regras e etapas utilizando push e pull requests. Em projetos privados você ainda paga para utilizar essa ferramenta; mas quem já trabalha com o GitHub pode usá-la livremente.

Caso a sua aplicação tenha um grande fluxo de commits, você pode utilizar mais máquinas ou ferramentas para rodarem simultaneamente processos adicionais para uma integração mais rápida, sem que você precise esperar muito para fazer o merge de uma pull request.

A ideia principal sobre Continuous Integration (CI) é a de gerar a build da sua aplicação para garantir que está tudo em ordem. E isso não envolve apenas aplicações compiladas, mas gerar o build é o mesmo que gerar os arquivos que você precisa para a sua aplicação rodar.

Se você pegar o PhP, por exemplo, que não é uma linguagem compilada e tem o framework Laravel, que tem uma grande quantidade de arquivos rodando, o build da sua aplicação é a própria pasta que contém todos os arquivos necessários para a sua aplicação funcionar.

Quer saber mais? Acesse nosso canal do youtube!

Veja também: porque o Kubernetes é utilizado em grandes projetos.